O números de doadoras de leite materno diminuiu 41% entre os meses de janeiro e novembro de 2016 em Campina Grande. A quantidade, divulgada pelo Banco de Leite Dr. Virgílio Brasileiro do Instituto de Elpídio de Almeida (Isea), reduziu de 100 mulheres no primeiro mês do ano para 59 no balanço feito em novembro. Segundo a coordenadora do banco do Isea, Alane Kaline, a diminuição prejudicam os bebês, principalmente prematuros que nasceram com baixo peso, pois o leite materno é essencial para o desenvolvimento dessas crianças. Na quarta-feira (21), por exemplo, não havia leite suficiente para as crianças internadas na unidade de saúde. A demanda diária é de 3,5 a 4 litros. “Sabemos que o número de partos de crianças prematuras vem aumentando. O leite humano previne inúmeras futuras doenças aos bebês, por isso, deve ser o alimento exclusivo até os seis meses de vida e depois deve ser concedido junto com outros alimentos até os dois primeiros anos da criança. O nosso trabalho consiste principalmente em complementar a alimentação nos casos em que as mães não consigam dar conta sozinhas”, disse Alane Kaline. Para quem deseja ser doadora, a coleta é feita na própria residência e a mãe só precisa preencher um cadastro para comprovar a sua saúde. Uma vez por semana funcionários do Banco de Leite vão até a residência para fazer o recolhimento. O Banco de Leite Dr. Virgílio Brasileiro funciona de segunda a sexta-feira das 7h às 18h no Isea. Nos finais de semana, funciona apenas para distribuição e acompanhamento de gestantes e puérperas, mães que deram à luz há até 45 dias, em casos delicados. Serviço Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea) Banco de Leite Humano Dr. Virgílio Brasileiro Vila Nova da Rainha, 147, Centro Telefone: 83-3310-6356 Email: blh.isea@gmail.com Fonte: g1 Por: Caio Oliveiracorpo D21

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here