Acontece neste domingo (4) o segundo e último dia de provas da segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os portões serão fechados às 13h (horário de Brasília) e as provas têm início às 13h30. Desta vez, os candidatos terão cinco horas e meia para responder a 45 questões de linguagens, 90 de matemática e produzir uma redação. As provas serão aplicadas em 165 municípios de 23 estados. Em nota divulgada às 18h deste sábado (3), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou que “não foram registradas intercorrências graves em nenhum dos 418 locais de aplicação”. ENEM 2016: CORREÇÃO EXTRAOFICIAL No sábado, os estudantes fizeram as provas de ciências humanas e ciências da natureza, com 45 questões cada. Segundo professores de Fortaleza e de Belo Horizonte ouvidos pelo G1, a prova manteve o “padrão Enem”, com equilíbrio de questões fáceis, médias e difíceis. Os assuntos abordados foram diversos e contemplaram grande parte dos temas ensinados no ensino médio, e a isonomia em relação à prova aplicada em novembro foi mantida. Entre os temas que apareceram nas provas estão uma série de pensadores da filosofia e sociologia, como Platão, Karl Marx, Norberto Bobbio, preocupação com questões socioambientais, como aquecimento global, biocombustíveis e desastres ambientais, além de diversos aspectos da africanidade na sociedade, principalmente na prova de história. Leia os comentários dos professores. O primeiro dia de provas foi tranquilo, mas marcado por muitas faltas. Nem todos os candidatos desta segunda aplicação foram afetados por ocupações estudantis contra a reforma do ensino médio e a PEC do teto de gastos públicos. Alguns tiveram problemas técnicos durante a aplicação do exame em novembro, e ganharam do Ministério da Educação a chance de refazer as provas. Porém, em muitos casos, a abstenção foi alta e candidatos relataram salas com muitas carteiras vazias na segunda realização do exame. O MEC vai divulgar a taxa de absteção dos dois dias de provas na noite deste domingo. Correção e cobertura especial Neste domingo (4), equipes de reportagem continuam acompanhando a rotina dos candidatos, a chegada aos locais de prova e as impressões sobre as provas. Após a aplicação do exame, o G1 vai divulgar um gabarito extraoficial e a resolução comentada das questões realizada por professores do Sistema Ari de Sá (SAS). Tempo real: Pela manhã a cobertura em tempo real traz informações, fotos e vídeos da chegada dos candidatos nos locais de prova. É sempre importante lembrar que os portões se fecham às 13h no horário de Brasília. Resolução das questões: O G1 apresentará a resolução, feita pelos professores do Sistema Ari de Sá (SAS), das 90 questões de linguagens e matemática, e fará o comentário da prova de redação. Segundo o Inep, o gabarito oficial do Enem deve ser divulgado pelo Ministério da Educação na manhã de quarta-feira (7). Programa com as 10 questões mais polêmicas: Na segunda-feira (5), a partir das 13h, professores do SAS comentam as 10 questões mais polêmicas (ou difíceis) desta segunda aplicação do exame neste ano. Clique aqui para conferir como foi o programa sobre a prova de novembro. Materiais obrigatórios Para fazer o Enem, o candidato deve levar um documento de identidade original e com foto (veja abaixo a lista de documentos permitidos). Além disso, a prova só poderá ser feita com caneta esferográfica de tubo transparente e tinta de cor preta. Documentos de identificação: O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirma no edital que nem todos os documentos de identidade serão aceitos no Enem. Eles precisam ter foto de identificação e ser expedidos por autoridades específicas. Veja abaixo a lista de documentos que os candidatos poderão usar nos dias de provas: Cédulas de identidade (RG) expedidas pelas Secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar, pela Polícia Federal; Identidade expedida pelo Ministério da Justiça para estrangeiros, inclusive aqueles reconhecidos como refugiados, em consonância com a Lei nº 9.474, de 22 de julho de 1997; Identificação fornecida por ordens ou conselhos de classes que por lei tenham validade como documento de identidade; Carteira de Trabalho e Previdência Social, emitida após 27 de janeiro de 1997; Certificado de Dispensa de Incorporação; Certificado de Reservista; Passaporte; Carteira Nacional de Habilitação com fotografia, na forma da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997; Identidade funcional em consonância com o Decreto nº 5.703, de 15 de fevereiro de 2006 Documentos não permitidos: protocolos, Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento, Título Eleitoral, Carteira Nacional de Habilitação em modelo anterior à Lei nº 9.503/97, Carteira de Estudante, Registro Administrativo de Nascimento Indígena (Rani), crachás e identidade funcional de natureza privada, nem documentos ilegíveis, não identificáveis e/ou danificados, ou ainda, cópias de documentos válidos, mesmo que autenticadas Exceções: De acordo com o edital do Inep, é possível que um candidato faça o Enem sem apresentar um documento de identidade válido, mas só em casos “extravio, perda, furto ou roubo” do documento. Porém, para conseguir essa permissão é preciso apresentar, no local de provas, um boletim de ocorrência feito com menos de 90 dias de antecedência do exame. Além disso, o candidato precisará passar por um processo especial de identificação, com o fornecimento de outros dados pessoais, e assinar um formulário específico. Fonte: g1 Edição: Caio Oliveira

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here